Semana da Leishmaniose Visceral lembra sobre a importância da prevenção

0
21

Neste ano de 2021, a Semana Nacional de Controle e Combate à Leishmaniose Visceral será de 9 a 14 de agosto. O período serve para incitar ações de prevenção e atenção à doença. Considerada grave, pode atingir humanos e cães, sendo que idosos e crianças imunodeprimidos correm um risco maior de desenvolvê-la em sua forma grave.

Causada por parasita e transmitida pela picada do mosquito palha ou outros assemelhados, se não tratada a tempo, a leishmaniose pode até levar à morte.

A prevenção ainda é a melhor forma de evitar a transmissão. Para isso, o manejo ambiental integrado ao controle de zoonoses é fundamental para inibir a criação e a proliferação dos insetos vetores da doença, que se reproduzem no meio de matéria orgânica em locais sombreados e com umidade.

O alerta parte do Departamento Técnico de Controle de Zoonoses (DTCZ) de Barueri, ligado à Secretaria de Saúde por meio da Vigilância em Saúde.

Confira abaixo os principais pontos listados pelo DTCZ:

Sintomas em humanos:
Febre irregular de longa duração, falta de apetite, emagrecimento, fraqueza, barriga inchada.
Caso alguma pessoa apresente sintomas da doença, é recomendado procurar atendimento médico imediatamente.

Sintomas em cães:
Apatia, lesões de pele, queda de pelos (incialmente ao redor dos olhos e orelhas), emagrecimento, lacrimejamento (conjuntivite) e crescimento anormal das unhas.

Caso o seu cão apresente sintomas da doença, procure atendimento veterinário e entre em contato com o Departamento Técnico de Controle de Zoonoses de sua cidade.

Formas de prevenção da doença:  
– Manter quintais livres de matéria orgânica (fezes de animais, folhas, frutos);
– Podar galhos de árvores para permitir a entrada de sol e evitar umidade no solo;
– Capinar o mato rasteiro e aparar os gramados;
– Manter o lixo em sacos para coleta;
– Evitar abrigos de animais próximos a domicílios e em área urbana, como canil, chiqueiro e galinheiro;
 – Se possível, manter residências e canis protegidos com tela mosquiteiro;
– Manter cães com coleiras impregnadas com deltametrina 4%;
– Usar repelente e evitar permanecer fora de casa no fim da tarde e início da noite;
– Adotar a guarda responsável, não permitindo que os animais fiquem na rua.

Dúvidas e mais informações
Em casos de dúvidas, entrar em contato com o Departamento Técnico De Controle De Zoonoses (DTCZ) de Barueri por meio do telefone (11) 4198 – 5679.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri