Prefeito recebe embaixadora de cidade africana

0
56

 

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, recebeu nesta quarta-feira (5), no Paço Municipal, a embaixadora de Botsuana no Brasil, Tebogo Teko Lily Motshome, acompanhada pelo diplomata Otsogile Shubane, pelo empresário do agronegócio Omar El Jamal e por José Rubens Marone, cônsul honorário de Botsuana. Na pauta de discussões, a possibilidade do estreitamento de relações comerciais com Jundiaí, inclusive com tratativas para elaboração de um acordo de cooperação. A reunião também contou com a presença do assessor especial de Cooperação Internacional da Prefeitura de Jundiaí, Carmelo Paoletti Neto, do Gestor da Unidade de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Messias Mercadante, e da Assessora de Políticas para a Igualdade Racial, Isabela Galdino Miguel.

O encontro deu continuidade a conversas iniciadas durante o African Day, evento realizado pela Prefeitura de Jundiaí em 22 de maio e que teve como um dos palestrantes o cônsul honorário Marone. Na ocasião, a possibilidade de Jundiaí exportar produtos para a África foi discutida em reunião com o prefeito Luiz Fernando. Nesta quarta, Marone agradeceu a oportunidade de retomar as tratativas ao lado da embaixadora. “Botsuana é o portal econômico da África e seus representantes estão muito animados com as possibilidades de parceria”, afirmou. Em inglês – língua oficial de Botsuana – a embaixadora Motshome agradeceu a oportunidade da visita e elogiou Jundiaí, ressaltando que a cidade teria muito a ganhar investindo em seu país. O empresário El Jamal, que já investe em Botsuana, também falou sobre sua experiência.

Rica em minérios, como diamante e urânio, Botsuana, no sul da África, quer atrair capitais brasileiros. Do tamanho de Minas Gerais e com uma população de 2,3 milhões de habitantes, o país importa hoje 80% de tudo o que consome, e por essa razão, é visto como a “nova onda” em investimentos em diversas áreas. O prefeito Luiz Fernando agradeceu a presença da comitiva e determinou que os empresários de Jundiaí fossem contatados, além de autorizar as tratativas para um acordo de cooperação. Jundiaí, como município, não pode fazer um acordo com um país, portanto ele seria realizado com Gaborone, capital de Botsuana. “Vamos identificar as empresas que tenham interesse em exportar e possivelmente organizar uma missão até a África para avaliar as oportunidades”, afirmou Luiz Fernando.