Novo dia a dia: prótese de perna resgata autonomia de professora barueriense

0
40

Em plena pandemia todo mundo teve que se readaptar ao novo normal: nada de contato, uso constante de máscara, higienização das mãos de hora em hora. Com tantas restrições você consegue imaginar, no cenário pandêmico, a readaptação na vida de uma pessoa que tem deficiência física e mora sozinha? Essa realidade é vivida pela professora de Barueri, Cristiana Ferreira do Nascimento, que teve a sua perna amputada em 2012 após um acidente de carro. Hoje ela já consegue enfrentar de maneira mais leve a rotina graças à sua nova prótese de perna.

Fornecida pela Prefeitura de Barueri, por meio da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SDPD), a nova prótese de Cristiana possui tecnologia de ponta que garante mais autonomia para a professora.

“Muitas coisas que eu faria somente se tivesse alguém para me ajudar, eu já consigo fazer sozinha com a prótese”, conta, empolgada, a professora da rede.

Adquirida em dezembro do ano passado, a prótese possui uma desarticulação de quadril, é feita com um material mais leve e permite mais mobilidade e até a prática de atividades físicas mais intensas.

“Antes eu achava que nunca mais iria poder ir ao mercado e empurrar um carrinho de compras, andar de bicicleta elétrica ou esteira. Agora com a prótese já consigo fazer todas essas coisas”, afirma.

Rotina e adaptação
Com o acompanhamento da SDPD, a professora pratica fisioterapia para fortalecer o músculo do coto e treino de marcha para o deslocamento correto.

Cristiana celebra cada etapa executada. “Cada conquista nova é uma emoção e uma felicidade diferentes. Ainda têm muitas coisas que eu quero fazer e que antes eram praticamente impossíveis, como fazer uma trilha, levar meus alunos para a sala segurando as mãozinhas deles. Agora com a prótese, tudo isso será possível”.

Apoio psicológico
Outro importante ganho para a plena adaptação de Cristiana no processo de protetização foi com o atendimento psicológico da SDPD, que se mantém mesmo com a pandemia, por meio de vídeochamadas.

“Eu moro sozinha, ficar em casa sem ter contato físico com amigos e familiares é muito ruim, esse acompanhamento com a psicóloga tem me ajudado muito a passar por esse momento tão difícil e a lidar com a falta e a saudade de viajar, de encontrar meus alunos, meus amigos e a minha família”, revela Cristiana.

O Departamento de Tecnologia Assistiva da SDPD, setor responsável por disponibilizar as próteses, órteses e meios de locomoção para os munícipes com deficiência, direciona as tecnologias de maneira individual e que atendam a necessidade específica de cada usuário, sempre com o aporte de uma equipe multidisciplinar, com terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e psicólogos. Para saber mais, entre contato pelo e-mail sdpd.faleconosco@barueri.sp.gov.br.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri