Mulheres empreendedoras provam que não há limites para os sonhos

0
82

Esta matéria faz parte da série “Mulher Protagonista”, produzida pela Prefeitura de Barueri em homenagem ao Dia Internacional da Mulher 2021. De 8 a 12 de março estão sendo publicadas reportagens com foco no protagonismo da mulher barueriense.

No mundo dos negócios a predominância ainda é masculina, mas aos poucos as mulheres estão buscando seu lugar ao sol também nesse setor. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que 34% dos chamados “donos de negócio” são do sexo feminino. Isso corresponde a 9,3 milhões de mulheres.

Sim, as mulheres estão de fato empreendendo mais. A busca pela independência financeira e, obviamente, pela realização dos sonhos no campo profissional têm levado mais mulheres a se tornarem MEIs (Microempreendedoras Individuais), conforme aponta o Sebrae por meio do o Relatório Especial de Empreendedorismo Feminino no Brasil, divulgado em 2019. Elas já são quase metade da categoria: 48%.

Barueri aposta alto no poder de empreender das pessoas, especialmente das mulheres – um público ao qual o município devota um cuidado especial. É por isso que há na cidade incontáveis exemplos de mulheres que estão usando sua fibra e seus talentos para se impor perante o mercado. Conheça algumas delas.

Sheila: por uma vida mais doce
Através de um sonho no qual estava preparando doces que nunca tinha feito antes, Sheila Ferreira Rodrigues Franco, de 33 anos, teve a resposta que estava procurando. Formada em Recursos Humanos e depois de trabalhar na área por alguns anos, a jovem estava desempregada há pouco tempo e viu aí a oportunidade de criar algo seu. “Trabalhava em uma empresa que gostava muito e me dedicava, mas não era o que de fato queria para seguir. Eu queria empreender e experimentar aquele sentimento de trabalhar com o que eu amo e tanto ouvia falar. Quando engravidei passei a desejar muito mais isso, por querer estar pertinho do meu filho”, conta.

Livre para colocar em prática esse desejo, só faltava decidir o caminho a seguir. Embora não tivesse nenhuma experiência com o preparo de doces gourmet, o sonho convenceu Sheila de que aquela era a direção. Daí começaram as experimentações, a busca por mais conhecimento na área, cursos etc. Em junho de 2019 nasceu a JP Delícias Gourmet, inspirada no nome de seu pequenino: João Pedro. Hoje a renda familiar vem toda do sonho de Sheila, que investiu em produtos diferenciados, de muita qualidade e visualmente irresistíveis, e um atendimento muito especial, cheio de carinho. Ela só vende por delivery e usa e abusa com sabedoria dos recursos modernos que existem hoje para divulgação, como Instagram, além de parcerias com Ifood e Uber Eats.

Para Sheila, “empoderamento é quando se confia no que se faz a ponto de suas ações agregarem valores na vida do outro. Mulher empoderada sabe expressar, inspirar e buscar um meio de se sobressair dos julgamentos alheios e ter sempre em mente o que a move, respeitando o propósito e a missão que tem”, prega a munícipe.

Andrea e o chopp tirado por mulher, sim!
Há cerca de cinco anos, Andrea Garcia Campos, de 47 anos, dava início ao sonho de empreender. Depois de trabalhar por muito tempo com registro em carteira em áreas como medicina ocupacional e indústria farmacêutica, achou que era hora de criar seu próprio negócio na cidade onde mora há 18 anos. Foi assim que abriu um ponto de vendas de chopp artesanal e costela no bafo juntamente com o marido e o filho adolescente. “Senti preconceito por ser mulher, sim. No início cheguei a ouvir que os clientes não iriam gostar de tomar chopp tirado por uma mulher”, revela com bom humor. Hoje isso ficou muitas canecas para trás.

A Feira de Arte, Decoração e Artesanato da Praça Oiapoque, criada pela Secretaria de Indústria, Comércio e Trabalho de Barueri, mostrou-se o palco ideal para Andrea estacionar seu food truck “Confraria Beer Ribs”. “Quando começamos, nossa estrutura ainda era bem precária. Mas fomos batalhando, aprendendo muito, melhorando, progredindo e conseguindo clientes fiéis que se tornaram amigos e continuam conosco até hoje na praça Oiapoque, onde estamos com nosso food truck de quarta a sábado a cada 15 dias. Esse é nosso evento fixo, nosso ‘ganha-pão’”, relembra a empresária.

Admiradora de muitas mulheres com quem convive e também de ícones, como Michele Obama, Oprah Winfrey e Luiza Helena Trajano, “entre tantas guerreiras, sensíveis e especiais”, como descreve, Andrea garante que o segredo é perseverar. “É difícil empreender sendo mulher, pois o mundo ainda é culturalmente machista, mas não é impossível. Tem que perseverar e não se deixar abater. Para a mulher que quer empreender, sugiro que confie na sua intuição, que esteja sempre disposta a aprender, mudar e se adaptar, mas nunca desistir! Toda mulher é muito mais forte do que imagina, acredite!”, incentiva, a guerreira.

Damares: a costureira que sabe as medidas sem nem precisar medir
A arte das linhas, agulhas e tecidos começou a ser desempenhada por Damares Rodrigues Santos Lima desce bem cedo, aos 12 anos. Na época ela começou a trabalhar no Bom Retiro, na capital paulista, conhecido justamente como o bairro de moda. Servia até como modelo para a montagem das roupas. Mas levou anos até tornar-se uma empresária do ramo. Quando casou, ainda bem jovem, com 16 anos, ajudou o marido em diferentes negócios que tiveram, como uma banca de jornal, depois uma papelaria até tornar-se costureira de fato. “Faz 22 anos que eu costuro. Só de olhar eu já sei a sua medida, eu amo a minha profissão. Estou aqui há 22 anos, agora que comecei a trabalhar com roupa de festa, faz três anos”, gaba-se do dom que tem.

Mas não foram poucos os desafios desde que começou a empreender. Chegando a pesar 130 quilos, Damares passou por uma cirurgia bariátrica e após um ano, quando foi fazer cirurgias de remoção de pele no abdômen e nos seios, descobriu um câncer de mama maligno. Daí começou uma corrida contra o tempo e um tratamento muito difícil, mas em nenhum momento Damares esmoreceu. “Minha médica falou que eu tinha só dois meses de vida e eu estou aqui, de pé, curada com a glória de Deus. O amor vence tudo, até o câncer ele vence, tudo o que você faz com amor multiplica e Deus abençoa”, testemunha com fé.

Hoje, aos 51 anos, diz estar na melhor fase de sua vida. Além do ateliê de costuma, a empreendedora tem uma loja de roupas de festa, a Dalups Modas, no Jardim Belval, onde mora, e planos de ir muito além. Seu próximo objetivo é abrir uma escola de costura para passar seu dom adiante e ajudar muitas outras mulheres a conquistarem sua independência. “Meu maior sonho é ensinar para as mulheres, pra elas terem uma profissão, que elas venham a ajudar o seu esposo. Os meus três filhos têm faculdade, através do meu trabalho paguei faculdade pra eles, são todos formados”, orgulha-se.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri