HMB realizou quase 35 mil sessões de hemodiálise em 2020

0
80

Unidade implementou protocolos de segurança para continuar oferta de tratamento durante a pandemia

O Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB) aproveita o Dia Mundial do Rim (11/3) para destacar a importância do Centro de Hemodiálise Dra. Sandra Vicenza Sarno, um serviço essencial e que precisa manter o atendimento aos pacientes com doença renal, mesmo no cenário de pandemia. 

O Hospital, que realizou 34.702 sessões de hemodiálise em 2020, implementou uma série de cuidados adicionais para evitar a propagação do novo coronavírus, como orientação sobre higiene adequada das mãos antes de entrar e ao sair da unidade, uso de máscara pelo paciente e pelos profissionais durante todo tratamento, fluxos de entrada e saída de pacientes para evitar aglomeração, coleta de swab (PCR) em pacientes sintomáticos na própria hemodiálise e isolamento de pacientes suspeitos ou confirmados em sala exclusiva para Covid-19. 

A hemodiálise é considerada um tratamento indispensável porque a máquina funciona como uma substituição do rim doente. “Os rins são responsáveis por quatro funções no organismo: eliminação de toxinas do sangue por um sistema de filtração, regulação da formação do sangue e dos ossos, regulação da pressão sanguínea e controle do delicado balanço químico e de líquidos do corpo. E a hemodiálise executa parcialmente essas funções, filtrando o sangue, retirando toxinas e líquidos em excesso”, comenta Agostinho Filgueira, coordenador do Centro de Hemodiálise. Segundo o especialista, as demais funções são supridas com uso de medicação. 

Com funcionamento de segunda a sábado, entre 6h e 16h30, o Centro tem capacidade de realizar mais de 3.000 sessões por mês. Cada sessão dura em torno de quatro horas e é realizada três vezes por semana. Como o tratamento é intenso e constante, é imprescindível que o espaço seja adequado, confortável e acolhedor. 

“Os serviços prestados pelo setor de hemodiálise do HMB são nota 10! A estrutura é excepcional, como de primeiro mundo, igual aos melhores hospitais de São Paulo. Além disso, o atendimento é humanizado, pacientes e familiares são tratados com o máximo de respeito, cordialidade e atenção. E os profissionais são altamente qualificados, educados, prestativos e solícitos”, explana Lindaura Ferreira do Prado, 68 anos, que realiza hemodiálise no HMB desde outubro de 2020. 

O Centro de Hemodiálise conta com mais de 50 colaboradores, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, auxiliares administrativos e de limpeza. Como prática do Hospital, todos os funcionários sempre são orientados a tratar todos os pacientes e familiares com cordialidade e respeito. Marcionilia Alves Pereira, 78 anos, que faz hemodiálise no HMB desde setembro de 2020, considera o atendimento excelente. “O que mais gosto da hemodiálise é da equipe que cuida de mim. Todos são muito atenciosos e carinhosos”, pontua. 

José Martins, 73 anos, que faz hemodiálise desde novembro de 2020, também elogia a competência dos funcionários. “O serviço da equipe é nota 1000! Todos são qualificados e atentos. Além disso, a estrutura é organizada e higienizada e os equipamentos são muito modernos”, comenta. 

E Daiane Andrade Costa, 31 anos, paciente da hemodiálise desde março de 2019, enaltece a alegria do ambiente. “A equipe da hemodiálise é minha segunda família, pois passo a maior parte do tempo com eles. São maravilhosos, alegres e divertidos, e isso faz com o que meu tratamento seja mais fácil”, explica.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri