Câmara de Osasco avalia gestão das secretarias de obras e mobilidade urbana

0
66

Em audiência pública realizada nesta segunda-feira (26), vereadores de Osasco se reuniram com autoridades e público em geral para discutir a gestão das secretarias de Serviços e Obras, Transportes e da Mobilidade Urbana do município.

Entre os assuntos abordados, destacaram-se a verticalização da cidade, recapeamento asfáltico, saneamento básico, planejamento do trânsito, iluminação de led, implementação de ciclovias, mobilidade urbana, revitalização de espaços e monumentos públicos, zeladoria de cemitérios, conservação de córregos, prevenção de enchentes e entrega de creches.

O descarte irregular de lixo recebeu destaque pelo primeiro palestrante, Lau Alencar, secretário de Serviços e Obras, que ressaltou a importância de se manter as vias limpas e com Ecopontos instalados, que são locais de descarte de resíduos para uso da população.

As lixeiras subterrâneas a serem implantadas na região central da cidade também foram citadas como exemplos de melhorias. “Trabalhamos com afinco na recuperação de praças e espaços públicos de nossa cidade. Demanda não
falta”, afirmou.

Para o segundo palestrante, Claudenis Begnini, secretário de Transportes e Mobilidade Urbana, Osasco enfrenta um desafio, pois cresceu de forma rápida nos últimos anos, sendo que atualmente a frota da cidade chega a quase 500 mil veículos.

Na ocasião, ele esclareceu que mobilidade é muito mais do que trânsito. É preservar a vida e garantir ao cidadão o direito universal de ir e vir com segurança. “Este é nosso principal objetivo, nossa missão.”

Uma das metas da Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana é reduzir o número de acidentes e óbitos nas vias municipais, com ênfase na educação e conscientização dos pedestres.

Por fim, Bruno Mancini, secretário de Planejamento e Gestão, apresentou mais alguns dados sobre mobilidade urbana. Ele ressaltou que a participação do transporte coletivo diminuiu em relação ao número total de deslocamentos. Se antes ele representava 40% das viagens, hoje responde por 33%.

Este fato ocorre devido à ascensão de outras formas de se deslocar, como táxis por aplicativo, bicicletas e skates, tornando o transporte público menos atrativo para parte da população. A implementação do bilhete único e a renovação da frota de ônibus são estratégias a serem adotadas para reverter este quadro. “Precisamos aprender a
ouvir para fazermos políticas públicas melhores.”

Após as explanações, foram respondidas perguntas dos vereadores De Paula (PSDB), Rogério Santos (Podemos) e do público em geral.

Esta audiência pública foi proposta pela Comissão de Política Urbana, Meio Ambiente e Defesa dos Direitos do Consumidor de Serviços Públicos Municipais e presidida pelo vereador Ricardo Silva (PRB). Para assisti-la na íntegra, acesse facebook.com/tvcamaraosascosp/videos/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui