Barueri amplia captação e tratamento de esgoto

0
41

A regulamentação do saneamento básico brasileiro abriu a discussão de como deve ser coletado e tratado o esgoto, atenuando a poluição de rios e córregos. Mas antes mesmo dessa regulamentação Barueri já vem se preparando para aumentar a cobertura de captação e tratamento de dejetos produzidos por residências, pela indústria e pelo comércio.

Tanto é assim que existe a Lei Municipal 1.892, de 2009, prevendo a obrigatoriedade de ligação da tubulação de esgoto à rede coletora pública. Atualmente, 62% de Barueri já realiza essa ação, cuja fiscalização está a cargo da Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente (Sema). De 2018 a 2022, foram 7 mil notificações, isso sem contar as denúncias de moradores sobre o despejo irregular.

Para conscientizar a população, foi elaborado o Projeto “Se Liga na Rede”, no qual foram produzidos materiais informativos a fim de que a população realize a ligação correta de esgoto e águas pluviais. Além dessa ação, a conscientização também é levada adiante por técnicos ambientais que orientam os moradores sobre dúvidas de saneamento.

Projetos que já surtem resultados
A Sema também desenvolveu alguns projetos, como a implantação das redes de esgoto do Jardim Júlio e do Chácaras Marco, já concluídos, e outros em andamento. É o caso do tronco coletor no córrego Garcia, que atende o Parque Imperial e Alphaville, as estações elevatórias de Alphaville e a bacia do córrego Cachoeira, atendendo mais de 3 mil pessoas nos bairros Chácaras Marco, Engenho Novo e Jardim Califórnia, elevando a cobertura na coleta e tratamento do esgoto para 65%.

A meta é até 2027 chegar a 95% de cobertura no município, quando Barueri será referência no saneamento básico não somente em São Paulo, mas no país.

Para o secretário de Recursos Naturais e Meio Ambiente, Marco Antônio de Oliveira (Bidu), os trabalhos nos troncos coletores, estações elevatórias e nas bacias de rios e córregos amplia a captação e o tratamento do esgoto gerado, contribuindo para a queda na poluição de braços d’água e de afluentes.

“Essas obras vão auxiliar no aumento da cobertura de coleta e tratamento de esgoto em Barueri e, consequentemente, na redução do despejo deste esgoto não tratado em rios e córregos que poluiriam esses ambientes. A ideia é aliar saneamento básico e preservação ambiental, cuidando de áreas sujeitas a poluição”, salienta Bidu.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri