UBS Júlio Lizart realiza roda de conversa sobre comportamento suicida e fluxo em saúde mental

0
76

Na tarde do dia 21 (terça-feira), a Unidade Básica de Saúde (UBS) Júlio Lizart, no Vale do Sol, realizou uma roda de conversa para discutir sobre comportamento suicida e o fluxo de saúde mental. Essa ação tem o objetivo de tratar novas formas de acolhimento e faz parte do Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio.

A psicóloga da unidade, Sandra Lira, falou sobre como as pessoas podem atuar em um acolhimento imediato da tentativa de suicídio, destacando principalmente a conversa e até o CVV (Centro de Valorização à Vida).

“Identificados alguns sinais de risco, o munícipe ou alguém próximo deve buscar orientações nas unidades de saúde e, em casos de crise e risco imediato para o suicídio, deve-se evitar deixar a pessoa sozinha e dificultar o acesso aos meios para concretizá-lo. E  buscar imediatamente os prontos-socorros e, posteriormente, os CAPS (Centros de Apoio Psicossocial), que contam com equipe interdisciplinar preparada para acolher essa demanda e tratá-la durante o período que se fizer necessário, pois o tempo de tratamento dependerá de cada pessoa, além do apoio familiar, social  e terapêutico que a pessoa dispõe”, orientou. 

Ela ainda complementa: “existem também serviços de escuta, como o CVV, que funciona 24 horas, basta ligar para 188”, esclarece a profissional em saúde mental. 

Fatores de Risco
Esse comportamento é uma questão de saúde pública de motivação multifatorial. É possível destacar os seguintes fatores de risco:

  • A tentativa prévia de suicídio;
  • Os transtornos mentais como o bipolar, a depressão, o alcoolismo, o abuso/dependência de outras substâncias químicas, entre outros;
  • Sentimentos de desesperança, de desespero, de desamparo e de impulsividade;
  • Eventos adversos ocorridos na infância e adolescência.

Sinais de alerta
Ainda é possível identificar alguns sinais que podem evidenciar o risco de suicídio e tentar evitá-lo:

  • A falta de esperança ou a preocupação com a própria morte;
  • Expressão de ideias ou intenções suicidas;
  • Ausência ou diminuição de autocuidado;
  • Uso abusivo de álcool/drogas;
  • Alterações nos níveis de atividade ou de humor;
  • Crescente isolamento da família/amigos;
  • Autolesão.

Setembro Amarelo
Desde 2003, todo dia 10 de setembro é comemorado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data foi criada pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e inspirou a campanha Setembro Amarelo. Durante o mês, ações relacionadas à saúde mental são realizadas em todo o Brasil para alertar sobre esse problema de saúde pública e mostrar que o quadro pode ser revertido com ajuda especializada e amor.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri