Saúde oferece contraceptivos implantáveis a adolescentes

0
37

Você sabia que os direitos sexuais e reprodutivos também contemplam adolescentes? Fala-se pouco sobre o tema, levando, inclusive, as jovens a iniciarem sua vida sexual, resultando, em muitos casos, em uma gravidez precoce, considerada de alto risco.   

A Secretaria de Saúde de Barueri, por meio da Coordenadoria de Ações Básicas em Saúde (Cabs), ciente da realidade enfrentada por milhares de jovens mães, amplia o acolhimento oferecido às adolescentes do município e disponibiliza métodos contraceptivos mais eficazes com o objetivo de dar atenção integral à saúde da mulher. 

Menos preconceito e mais ação 

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, mais de 19 mil adolescentes de até 14 anos de idade tornaram-se mães em 2019. Dados esses que reforçam a importância de ações educativas e preventivas.  

“É preciso acolher as mulheres de forma individualizada e fazer um diagnóstico territorial, identificando a sua vulnerabilidade. No caso de adolescentes, como estratégia, disponibilizamos métodos contraceptivos mais seguros”, explica a coordenadora da Atenção Básica à Saúde, Fernanda Lucas Medeiros, ao se referir sobre o anticoncepcional implantável disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para grupos prioritários. 

Métodos modernos 

Os anticoncepcionais disponibilizados são o DIU Hormonal e o Implanon. Considerados mais eficazes, esses dispositivos exigem menor influência da paciente sobre o método, diferente de outros tipos, como a pílula, por exemplo, que pode ser esquecida ou mal administrada, aumentando os riscos de gravidez.  

Importante lembrar que, com exceção do preservativo, nenhum dos contraceptivos protegem contra doenças sexualmente transmissíveis. 

Quem tem direito 

O método DIU Hormonal é disponibilizado para todas as adolescentes com idade entre 11 e 19 anos. Já o Implanon cabe apenas para as pacientes com idade a partir de 15 anos com acompanhamento no CAPS (Adulto, Infantojuvenil ou Álcool e Drogas), adolescentes em situação de alta vulnerabilidade social ou em situação de rua.  

Como agem 

O DIU é introduzido no útero da paciente e o Implanon é implantado no braço da mulher. Ambos são colocados por um ginecologista. 

“Esses dois dispositivos são à base de progesterona, que é um hormônio. Esse hormônio é liberado na cavidade uterina, promovendo efeito antiproliferativo do endométrio, inibindo a ovulação. Outra forma de ação deles é no aumento do espessamento do muco cervical, o que impede a progressão do espermatozoide e reduz a mobilidade do espermatozoide”, detalha a médica ginecologista e diretora da Saúde da Mulher de Barueri, Maria Celeste Gonçalves. 

Riscos da gravidez precoce 

As ações da Secretaria de Saúde em dispor de novos métodos contraceptivos focados nas adolescentes garantem uma atenção integral à saúde da mulher, reduzindo os riscos causados pela gravidez precoce, como aborto espontâneo, bebês com baixo peso ou prematuros, pré-eclâmpsia e eclâmpsia, depressão pós-parto e mortalidade.  

Além de as meninas enfrentarem os riscos sociais, afetando a vida escolar e a sua futura atuação no mercado de trabalho. 

Planejamento familiar 

Para ter acesso ao DIU Hormonal e ao Implanon, assim como todos os métodos contraceptivos disponíveis gratuitamente, basta ir até a UBS mais próxima da residência e procurar os grupos de Planejamento Familiar para ter informações e orientações sobre os direitos reprodutivos da mulher e ou do casal. 

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri