Música é recurso terapêutico utilizado pela SDPD para auxiliar pessoa com deficiência

0
40

Especialistas afirmam que o contato com a música diminui a ansiedade, acalma e alivia o estresse. Sabendo disso, a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SDPD) utiliza a música como recurso de inclusão por trazer uma série de benefícios para as pessoas com deficiência.

A chamada Oficina de Música é aplicada nas ações do Centro-Dia (programa voltado para pessoa com deficiência adulta) desenvolvido pela SDPD. Essas ações estimulam a socialização e ajudam a aperfeiçoar os sentidos sensoriais, explica o instrutor de música do Centro-Dia, César Freitas que batizou os encontros musicais de “Sarau Musical”.

“É uma roda livre de música, onde todos participam cantando, tocando, dançando ou apenas ouvindo, e até mesmo sugerindo a próxima canção a ser executada. O sarau tem como objetivo socializar e conectar as pessoas através da música. Dentro desse ‘fazer musical’, a ação é a parte mais importante do todo. Afinal quando cantamos, dançamos ou escutamos uma música, nós resgatamos nossas memórias, sejam elas afetivas ou motoras. Além da sensibilidade”, conta Cesar.

Vínculo musical
Na oficina, os atendidos fazem uma roda e tocam instrumentos musicais. Seja por um chocalho feito com material reciclado ou por meio de um pandeiro de brinquedo. O importante é sentir o ritmo musical.

“Tanto para fazer quanto para ouvir música, a gente usa todo o nosso corpo, e várias partes cerebrais, inclusive de uma forma muito integrada. Para uma pessoa que tem dificuldade de fala, por exemplo, o ato de cantar é muito mais fácil do que falar, pois a melodia ajuda a comunicação”, conta a técnica do Centro-Dia, Melina Charlila Oliveira.

Mais feliz
Os resultados dessa atividade foram percebidos pela dona de casa, Silvia da Fonseca, mãe de Bruno Henrique Serraia, de 33 anos, que tem paralisia cerebral.

“Ele ama vir pra cá, esse tipo de atividade até interferiu na diminuição da dosagem nos medicamentos. Ele fica mais calmo e mais feliz. Antes ele só chorava e gritava muito. Agora, depois que ele passou a participar das oficinas, ele sorri e dá risada. É um trabalho muito bom!”, conta Silvia.

Centro-Dia
O programa Centro-Dia é voltado à pessoa com deficiência com idade acima de 18 anos que oferece uma atenção singular, ampliando essa assistência aos familiares dos atendidos por meio de oficinas de cultura, artesanato, esporte, além da oferta de passeios acessíveis, dentre outras ações que estimulam as atividades psicomotoras.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri