Língua presa: ação rápida de especialistas da rede resolve problema nos primeiros dias de vida

0
73

Você já ouviu falar de anquiloglossia? Esse é o nome técnico para a popular ‘língua presa’, que não prejudica somente a fala, mas principalmente a amamentação nos casos de recém-nascidos. Em Barueri, por meio da Secretaria de Saúde, é possível corrigir essa condição congênita já nos primeiros dias após o nascimento com o objetivo de garantir o sucesso do aleitamento materno, isso graças a uma equipe técnica composta por fonoaudiólogas e dentistas.

A odontopediatra Luciana Sinico é uma das responsáveis por executar as cirurgias chamadas de frenectomia nos bebês que nascem com a língua presa na rede municipal. Trata-se de um corte no tecido localizado abaixo da língua. Segundo a especialista, o procedimento, que é realizado com o bebê no colo da mamãe, é seguro e de rápida recuperação, e o paciente recebe alta no mesmo dia.

“Se a espessura do freio lingual estiver bem fina, a recuperação é muito rápida. Mas se a membrana estiver espessa são realizadas anestesia e sutura no local”, explica Luciana. Ela ressalta que no pós-operatório o controle de sangramento acontece através da amamentação imediata e sem a necessidade de analgesia.

Saúde para o bebê
O principal objetivo de fazer a correção da língua presa em recém-nascidos é facilitar a pega e a sucção do leite, prevenindo o desmame precoce. Isso significa que o bebê terá a nutrição necessária, já que o leite materno é o alimento exclusivo para os primeiros seis meses de vida, provendo uma série de benefícios à sua saúde.

“A frenectomia melhora a pega do bebê durante a mamada, ajudando o processo de sucção, uma vez que libera a língua para os movimentos de ordenha, aliviando a força que o recém-nascido faz com a boca. Assim, o bebê pode se alimentar por mais tempo”, detalha Luciana.

A auxiliar de produção, Isabela Fernandes, sentiu de imediato o resultado da frectonomia feita em seu bebê Brian, de apenas dois meses de vida.

“Assim que o meu bebê nasceu, quando soube que ele tinha a língua presa fiquei meio apreensiva e pensei que ele não iria precisar fazer o corte. Agora eu senti que ele está pegando bem e estou me sentindo bem mais aliviada sabendo que posso amamentar”, conta.

Teste da Linguinha
A avaliação precoce da anquiloglossia, ou língua presa, é realizada no bebê ainda quando está na maternidade por meio do Teste da Linguinha, exame exigido pela Lei de número 13.002 de 2014, que tem o objetivo de diagnosticar e indicar o tratamento precoce das limitações dos movimentos da língua. 

“O teste da linguinha é um exame padronizado que identifica os casos de anquiloglossia, que podem comprometer as funções de sugar, engolir, mastigar e falar”, destaca Gracielle da Silva Bonifácio, fonoaudióloga que integra a equipe responsável pela triagem do Teste da Linguinha da Maternidade Municipal de Barueri.

Suporte à amamentação
A também fonoaudióloga Silvana Roberta de Oliveira Lima, que atua na Maternidade, ressalta que independentemente da criança apresentar o quadro de anquiloglossia, o suporte para amamentação é sempre oferecido à mãe e ao recém-nascido.

“Quando houver dificuldades na amamentação, independente da presença da anquiloglossia, é importante que a mãe e o recém-nascido recebam o suporte necessário. Oferecemos sempre esse auxílio às mães durante o período de internação e pós-alta de até 30 dias, assim como retornos, se necessários, à Odontopediatria”, ressalva.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri