Barueri volta com campanha premiada para tratamento da tuberculose

0
79

A partir do dia 14 até o dia 28 de março, a Secretaria de Saúde de Barueri inicia novamente a campanha de intensificação de busca ativa das pessoas com sintomas respiratórios para prevenir e tratar a tuberculose. A campanha é voltada para a identificação precoce de sintomas, para o respectivo tratamento e, também, para atuar na prevenção, uma vez que a pessoa com a doença pode infectar várias outras.

A campanha acontece nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade e no Serviço de Atendimento Especializado (SAE) de Barueri. A iniciativa é voltada para alertar todos aqueles que apresentem determinados sintomas respiratórios: tosse seca há mais de duas semanas, tosse com secreção, febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento, cansaço ou fadiga.

Como acontece com a maioria das enfermidades, a detecção precoce da doença é importante para o tratamento, que no caso da tuberculose demora pelo menos seis meses e precisa ser feito com rígido acompanhamento diário dos profissionais de saúde.

Caso a pessoa esteja com tais sintomas deve procurar uma UBS mais próxima de sua residência. Não é necessário agendar consulta. Tanto o teste quanto um eventual tratamento são feitos gratuitamente na rede municipal.

Barueri conta com equipe de atendimento à tuberculose nas unidades de saúde, laboratório próprio e equipamento de testagem rápida (o GeneExpert), pelo qual em duas horas é emitido o diagnóstico laboratorial da doença. É possível, inclusive, detectar se o paciente tem alguma resistência ao tratamento e, dada a precisão do equipamento, as chances de um laudo falso negativo são bastante reduzidas.

Campanha premiada
A campanha, assim como o trabalho conjunto de enfrentamento da tuberculose, tem recebido prêmios importantes a cada ano. O reconhecimento pelo trabalho pode ser conferido nos encontros do Fórum Anual da Tuberculose, com destaques tanto pela busca ativa quanto pelo tratamento.

“Tivemos um retrocesso por causa da pandemia porque muitas pessoas tinham medo de ir às UBSs fazer o teste, alguns abandonaram o tratamento. Mas é muito importante que a pessoa, se tiver sintomas, procure uma unidade de saúde. Lembre-se que o diagnóstico precoce é o tratamento adequado e salva vidas”, ressaltou Fabiana Aparecida dos Santos, diretora de Programas da Secretaria de Saúde e responsável pelo Programa da Tuberculose na cidade.

Números
Os números do ano passado sobre o tratamento da tuberculose em Barueri ainda não estão fechados. Mas os dados dos anos anteriores mostram a queda a qual se referiu Fabiana. A OPAS – Organização Pan-Americana de Saúde, da Organização Mundial da Saúde, em seu relatório anual de 2021, aponta que no ano anterior, 2020, morreram mais pessoas de tuberculose no mundo, números que revelaram pela primeira vez um retrocesso de mais de uma década no enfrentamento da doença.

Panorama que se confirma quando são observados os dados de recuperação dos pacientes em Barueri. Em 2019, o índice de cura da doença chegou a 90% no município contra os 76% de 2020, período mais agudo da pandemia.

No Brasil, conforme o Ministério da Saúde, cerca de 70 mil novos casos de tuberculose são registrados no país a cada ano, sendo que aproximadamente 4,5 deles tornam-se óbitos. No mundo, as mortes pela doença atingem 10 milhões de pessoas por ano.

O contágio
Doença infectocontagiosa, a tuberculose é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch. Transmitida pelo ar, saliva ou contato direto com outros tipos de secreções corporais, atinge principalmente os pulmões, podendo chegar também aos rins, ossos, cérebro, pele e até à coluna vertebral.

Fonte: Secom – Prefeitura de Barueri