Escola Inovadora: educadores conhecem o projeto “Inova Sabores”

0
43

 

A Unidade de Gestão de Educação (UGE) apresentou aos diretores das unidades escolares e cozinheiros da rede o projeto “Inova Sabores”. A iniciativa, que integra os eixos de capacitação dos educadores e investimentos no aprendizado pelo programa Escola Inovadora, propõe a inclusão de novas fontes de proteínas vegetais somadas às que já incluem o cardápio da merenda. Mais de cem profissionais assistiram à palestra “Diversificando as fontes de proteína”, promovida pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), na Sala Elis Regina do Complexo Argos na tarde dessa sexta-feira (26).

A diretora do Departamento de Alimentação e Nutrição da UGE, Maria Ângela Delgado, explica que a iniciativa vem a acrescentar o trabalho que já vem sendo realizado. “Não estamos tratando da exclusão da carne do cardápio, mas precisamos pensar em novas fontes de proteínas de origem vegetal para os alunos que têm alergias ou algum tipo de intolerância, como forma de respeito e de sustentabilidade não só dos alunos como também do ambiente. Que possamos sair deste encontro com um novo olhar”.

A palestra foi conferida pela zootecnista Fernanda Vieira, que é gerente de políticas alimentares da Humane Society International (HSI), parceira da SVB, na implantação de alimentação saudável em instituições. Fernanda apresentou dados sobre como o consumo excessivo de carne processada está atrelado ao desenvolvimento de doenças, mitos sociais sobre alimentação balanceada, números da fome e obesidade no Brasil, e como alimentos vegetais podem ter apenas benefícios nutricionais e em blindar doenças, como as cardiovasculares.

Maria Ângela acredita que novo projeto é forma de respeito aos alunos alérgicos ou com algum tipo de intolerância

“O gasto ambiental para a produção de alimentos para os animais é muito alto. Atualmente cerca de 50% dos grãos colhidos no planeta são destinados às rações para os animais de corte. O problema do mundo não é a falta de comida, mas quem está sendo alimentado. Por isso, seguindo orientações da ONU, incentivamos políticas de redução do consumo de alimentos de origem animal. Precisamos pensar em nossa saúde individual e na saúde do Planeta”, explica Fernanda.

Os participantes puderam saborear também alimentos de receitas com ingredientes vegetais, como suco integral de uva com beldroega, chá de gengibre com capim santo, quibe de ervilha com creme de mandioca, bolo de cenoura com folha de bata doce e escondidinho de batata com proteína de soja.

Após esta fase de apresentação do “Inova Sabores” aos educadores, as próximas etapas incluem a formação dos cozinheiros e a implementação no cardápio.

Alimentação saudável
Atualmente diversas iniciativas já privilegiam a construção de hábitos alimentares saudáveis a partir do cardápio da merenda escolar. Desde janeiro de 2017 até agora, as unidades com horta escolar saltaram de 30 para 79, e a área destinada ao Vale Verde, de onde saem as verduras e legumes orgânicos das merendas de mais de 150 escolas de Jundiaí, 111 delas municipais (atingindo cerca de 37 mil alunos) e as demais estaduais, passou para uma área de plantio de 10 para 15 mil metros quadrados.

Também foi implantado o programa “Inova na Horta”, iniciativa que engloba a inclusão das PANC, plantas alimentícias não convencionais, como forma de enriquecer o cardápio com alimentos ricos e micronutrientes e fitoquímicos e difundir mais conhecimentos às famílias dos alunos.