Cultura dialoga com a população do São Camilo para construir Plano Municipal

0
101

 

O Jardim São Camilo contou, na noite dessa quinta-feira (25), com o primeiro da série de sete encontros dos Fóruns Descentralizados de Cultura, previstos para realização em todos os vetores da cidade até outubro deste ano. A iniciativa da Unidade de Gestão de Cultura (UGC), em parceria com o Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC), visa a, junto com a comunidade, discutir os avanços e desafios da Cultura no Município e tratar da construção de um Plano Municipal de Cultura. Participaram do encontro na Escola Estadual Professora Maria José Maia de Toledo mais de 40 artistas e interessados.

No encontro foram apresentados os espaços culturais do Município, os principais eventos da agenda cultural de atividades promovidas pela UGC, além do Cadastro de Artistas, ambiente online em que os artistas do Município podem cadastrar seus trabalhos e projetos para contratação pela Prefeitura e interessados, e o Programa Municipal de Estímulo à Cultura (Proesc), edital lançado para fomento à atividade de artistas do Município com investimento total de R$ 500 mil e com apresentações descentralizadas como contrapartida.

Arthur se dedica à grafitagem e ao hip hop e viu o Fórum como uma oportunidade

O gestor da UGC, Marcelo Peroni, ressaltou a importância de se fazer um diagnóstico responsável e dialogar com a comunidade. “O Plano de Cultura é algo que precisa ser construído de modo responsável, para que ele seja aplicado e tenha continuidade, e que seja adequado à realidade econômica do Município, as demandas da classe artística e os hábitos culturais dos cidadãos. A Cultura é algo não palpável, mas exige um tratamento correto de dados e números. Por isso esse movimento em direção aos bairros para fazer essa discussão tão necessária”.

Arthur Rocha tem 18 anos, é morador do bairro e se dedica à grafitagem. “Reuniões como esta são uma boa oportunidade para discutir e encontrar oportunidades”, elogiou o artista, que sempre participa de eventos relacionados à cultura hip hop.

Já Rodrigo Moraes tem 29 anos, é ator e desenvolve oficinas de Teatro no bairro. “Minhas expectativas são para que, cada vez mais, o trabalho das pessoas nos bairros seja apreciado e se amplie o acesso às ofertas culturais da cidade. Descentralizar as atividades e ouvir o que as pessoas têm a dizer são sempre boas práticas”, acrescenta.

O próximo encontro dos Fóruns está previsto para 8 de agosto, às 19h, no Jardim Santa Gertrudes.