Conferência Municipal de Saúde se encerra no Complexo Argos

 

O auditório Elis Regina, no Complexo Argos, foi o local escolhido para a realização da 11ª Conferência Municipal da Saúde, realizada pela Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS). O evento teve início na noite de sexta, na Câmara Municipal, com a apresentação de propostas de quatro eixos temáticos que abordavam o tema “A Consolidação do SUS para manutenção do direito à Saúde”: “O papel do Estado como disciplinador e fomentador do Direito à Saúde”, “A função reguladora do Estado na Estruturação do SUS”, “A resistência do SUS frente às normas restritivas do financiamento” e “Participação Social – Cidadania, ética, direita e deveres, para emancipação do coletivo”. Entre técnicos e usuários do Sistema Único de Saúde, participaram em torno de 160 pessoas.

“Do total de inscritos como participantes, 99 são usuários do SUS, e estão aqui para a escolha dos delegados que participarão da macroconferência regional, com 42 municípios da região de Campinas. Dessa etapa regional, serão submetidos à nova escolha na estadual, para chegarem à 16ª Conferência Nacional que será realizada em maio, em Brasília”, explicou o gestor Tiago Texeira, que estava ao lado de Tião Preto, que há quatro anos representa Jundiaí na condição de delegado. “Participar do encontro nacional é representar as pessoas que fazem uso do sistema público de saúde e ter a oportunidade de apresentar nossas demandas locais e da região”, disse Tião.

A conferência municipal elege 9 delegados, 3 gestores e 3 trabalhadores da Saúde. “É importante a discussão de uma política social que venha de encontro aos anseios da população”, destaca Eurico Gonçalves de Lima, usuário do sistema público de saúde e que participava do encontro.

Em um levantamento feito pela UGPS, várias propostas apresentadas no encontro realizado em 2017 foram implementadas e se transformaram em políticas de saúde como: implantação de sistema de regulação municipal de acordo com os parâmetros e protocolos do Ministério da Saúde; garantia do acesso ao Programa de DST/Aids/Hepatites a partir da ampliação das estratégias de atendimento, implementação de ouvidoria SUS municipal além de outras ações.